Páginas

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Prevenção (Innocence of Muslims)

Proibiram a exibição do trailler de Innocence of Muslims...

Frame retirado do YouTube exibe imagem do filme que satiriza o Islã. Foto: Reprodução

Vou correndo comprar meu chador, ou hijab, dependendo do que decidirem... afinal, daqui há pouco vamos ser obrigadas a usar para evitar transtornos, não é mesmo?

(Será que vou ficar a "corramailinda"???)


Falando sério 1: Alguém aí já ouviu falar do dito popular "minha casa, minhas regras"? Pois parece que o Brasil não é casa de ninguém, mesmo.

Falando sério 2: Já imaginaram se uma muçulmana que gosta de mudar de cor de cabelo comete um crime? Estou imaginando o Fucker dizendo ao Sucker: "Não, não, parceiro. Esta não é a meliante. Ela é morena, e aqui na carteira de motorista não dá pra ver o cabelo, não deve ser ela"... afinal aqui quem cuida da perícia não são os coletadores de digitais do CSI, né???

Falando sério 3: Não sou preconceituosa, muito pelo contrário. Só que se eu fosse visitar ou morar no islã, cobraria minha cabeça com um véu com prazer, pois além de achar os tecidos deles muito lindos, também aprendi com a minha família que devo respeitar as regras e o código de conduta do local onde eu frequento. Se não quiser fazer isso, que me retire então (Este recado vai para as mulheres que vão visitar o oriente médio e reclamam de serem "obrigadas" a cobrir a cabeça: "obrigado é pau de arrasto, como diria minha avó". Não querem brincar, não desçam pro playground! - Ou lembrem que não é em todos os ambientes que é obrigatório o uso do véu.). Acredito em um mundo onde as pessoas podem se respeitar. Se somos obrigadas por uma lei do islã a usar véu em determinados lugares quando formos visitá-los ou morar lá; eles também tem que respeitar nossas leis se querem nos visitar ou morar aqui. Ninguém proibiu as moças islâmicas (aquelas lindaaaas) de se cobrirem na rua, mas mostrar as características físicas em documentação é fundamental. Aliás, não tem nem o que reclamar, se estivessem no país delas, em alguns locais não poderiam fazer a carteira de habilitação nem com véu na foto!

Falando sério 4: Ensino aos meus filhos que "respeito" é tratar aos outros como gostaria de ser tratado. O dito cujo que fez este filme pisou na bola. E feio. E colocou mais um monte de gente em risco por causa de uma falta de educação que é somente dele. Os EUA tinham mais era que entregar este cara as autoridades islâmicas, ao contrário de ficarem protegendo. Ou seria interessante causar todo um trnstorno mundial por causa de uma pessoa? Para ganhar uma batalha, precisamos ter algumas baixas. Podem ser poucas, mas se for interessante ter muitas, talvez o caminho mais rápido seja este.

E chega de falar sério, pois se for desenrolar tudo que penso sobre esta relação de coisas, vou ficar aqui até amanhã escrevendo.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Acabaram com a infância (de novo)

Olha, eu sei que notícias de abuso contra crianças, sejam morais ou físicos, fazem qualquer um acreditar que a infância é artigo raro no mercado.

Sempre fui fã do Maurício de Souza, e continuo sendo, mas acho que chegou a hora de parar de destruir a infância alheia por causa de dinheiro. Estou muito decepcionada, sério mesmo.

Podem me chamar de quadrada, não me importo. Pra mim, o que é pra criança é pra criança e ponto final. Atos como este fazem com que nossos filhos não tenham acesso a uma mídia de entretenimento de qualidade. Um produto só existe no mercado por existir consumidor, e vice e versa. Sendo assim, se não existissem estas opções, eles ainda leriam as revistinhas infantis e dariam risadas como nós demos em nossa infância.

Olha a notícia que acabei lendo hoje no Correio do Povo:

"Mônica e Cebolinha estão de casamento marcado



União da dupla mais famosa dos quadrinhos brasileiros estará nas bancas na próxima semana

Foram décadas de implicância um com o outro, na revistinha mais famosa do Brasil. Tanta paixão reprimida só podia acabar em casamento. Agora, chega de planos infalíveis e coelhadas. Mônica e Cebolinha vão casar na edição 50 de Turma da Mônica Jovem. O lançamento da revista de 132 páginas ocorre na próxima semana.

O gibi em estilo mangá, produzido pelos Estúdios Maurício de Sousa, traz uma versão mais moderna da turminha que retrata a infância dos brasileiros há décadas. Na nova edição em quadrinhos, ele já trocaram o primeiro beijo e engataram namoro. Agora, chegou o matrimônio, cujo desenrolar de toda a história ainda é segredo".


Depois de ver os olhares ilustrados na imagem acima não vou me surpreender se levar meu filho na banca pra comprar revistinhas e encontrar uma de hentai , assinada pelo Maurício de Souza, ainda por cima.



sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Fotos raras de sets de filmagem

 
Que fazer cinema, teatro, televisão (ou seja que atração for) dá trabalho, isso já sabemos.

Só que quando fazemos o que realmente gostamos, pode ser muito mais divertido. Esse aí em cima na boca do tubarão é nada mais nada menos que Steven Spielberg posando com sua criação nos bastidores do thiller de horror "Tubarão", em 1975. Prova de que quando fazemos todo o trabalho de forma leve, os resultados sempre serão melhores!

Aqui temos outra foto inusitada do grande diretor: olha a situação!

Pois é. Garanto que nem se importou de deitar em cima de maquete no set de Indiana Jones e Os Caçadores da Arca Perdida em 1981, para enquadrar a imagem: o que importa é o resultado que a gente já conhece!

Esta abaixo é do Jack Nicholson e Stanley Kubrick no set de O Iluminado (1980). Com este sorrisão a gente não sente nem medo, e parece que ele está curtindo muito trabalhar alí! Porém... o personagem que Nikcolson fez neste filme é um dos que mais angustia até hoje quando assisto. Quase fico com a mesma cara da Shelley Duvall quando ele bate com o machado na porta. Do mal! Ah, e para mim esta versão de 1980 é muito melhor que o ramake de 1997 (embora o último não seja de todo ruim).


E o Elijah Wood e Macaulay Culkin no set de O Anjo Malvado (1993)? Acho que se a mãe do mocinho da história tivesse visto os dois sorrindo e brincando assim, ia ter muito mais dificuldade de escolher quem salvar no final...



Nem só de sensualidade e perspicácia Sean Connery construiu o agente James Bond enquanto trabalhou na franquia  de 007: pausas foram são essenciais, e rir também. Prova disso é esta foto abaixo, nos bastidores de 007 Contra Goldfinger (1964).

 
 
E por fim, podemos verificar que um ator alimenta o personagem que está dentro de si durante o trabalho: olha o Nick Castle como Michael Myers no set de Halloween (1978)!
 
 
 
 
Fonte: Portal MSN. Lá você vai ver mais fotos além destas, aqui coloquei só as que achei mais legais.