Páginas

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Atrocidade - November Rain

Onde é que nós vamos parar, meu Deeeeeuuuuuus??????

Pelo menos aquela da Metallica era de brincadeirinha, mas isso é de verdade, Meu Deus, é de verdade!!!

(E depois dizem que o fim do mundo não aconteceu...)

 
Mas nada supera a dançadinha de frevo no final (por tanto, assista até o final).

Retrospectiva Google 2012

Existe o lado comercial? Sim.
Existe uma centralização regional? Talvez.
Mas independentemente disso, este vídeo me trouxe algo que o mundo precisa: comoção. Com as pessoas, com os atos, com os contrastes.

 
Feliz 2013... Somos sobreviventes em um mundo que não acabou.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Prevenção (Innocence of Muslims)

Proibiram a exibição do trailler de Innocence of Muslims...

Frame retirado do YouTube exibe imagem do filme que satiriza o Islã. Foto: Reprodução

Vou correndo comprar meu chador, ou hijab, dependendo do que decidirem... afinal, daqui há pouco vamos ser obrigadas a usar para evitar transtornos, não é mesmo?

(Será que vou ficar a "corramailinda"???)


Falando sério 1: Alguém aí já ouviu falar do dito popular "minha casa, minhas regras"? Pois parece que o Brasil não é casa de ninguém, mesmo.

Falando sério 2: Já imaginaram se uma muçulmana que gosta de mudar de cor de cabelo comete um crime? Estou imaginando o Fucker dizendo ao Sucker: "Não, não, parceiro. Esta não é a meliante. Ela é morena, e aqui na carteira de motorista não dá pra ver o cabelo, não deve ser ela"... afinal aqui quem cuida da perícia não são os coletadores de digitais do CSI, né???

Falando sério 3: Não sou preconceituosa, muito pelo contrário. Só que se eu fosse visitar ou morar no islã, cobraria minha cabeça com um véu com prazer, pois além de achar os tecidos deles muito lindos, também aprendi com a minha família que devo respeitar as regras e o código de conduta do local onde eu frequento. Se não quiser fazer isso, que me retire então (Este recado vai para as mulheres que vão visitar o oriente médio e reclamam de serem "obrigadas" a cobrir a cabeça: "obrigado é pau de arrasto, como diria minha avó". Não querem brincar, não desçam pro playground! - Ou lembrem que não é em todos os ambientes que é obrigatório o uso do véu.). Acredito em um mundo onde as pessoas podem se respeitar. Se somos obrigadas por uma lei do islã a usar véu em determinados lugares quando formos visitá-los ou morar lá; eles também tem que respeitar nossas leis se querem nos visitar ou morar aqui. Ninguém proibiu as moças islâmicas (aquelas lindaaaas) de se cobrirem na rua, mas mostrar as características físicas em documentação é fundamental. Aliás, não tem nem o que reclamar, se estivessem no país delas, em alguns locais não poderiam fazer a carteira de habilitação nem com véu na foto!

Falando sério 4: Ensino aos meus filhos que "respeito" é tratar aos outros como gostaria de ser tratado. O dito cujo que fez este filme pisou na bola. E feio. E colocou mais um monte de gente em risco por causa de uma falta de educação que é somente dele. Os EUA tinham mais era que entregar este cara as autoridades islâmicas, ao contrário de ficarem protegendo. Ou seria interessante causar todo um trnstorno mundial por causa de uma pessoa? Para ganhar uma batalha, precisamos ter algumas baixas. Podem ser poucas, mas se for interessante ter muitas, talvez o caminho mais rápido seja este.

E chega de falar sério, pois se for desenrolar tudo que penso sobre esta relação de coisas, vou ficar aqui até amanhã escrevendo.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Acabaram com a infância (de novo)

Olha, eu sei que notícias de abuso contra crianças, sejam morais ou físicos, fazem qualquer um acreditar que a infância é artigo raro no mercado.

Sempre fui fã do Maurício de Souza, e continuo sendo, mas acho que chegou a hora de parar de destruir a infância alheia por causa de dinheiro. Estou muito decepcionada, sério mesmo.

Podem me chamar de quadrada, não me importo. Pra mim, o que é pra criança é pra criança e ponto final. Atos como este fazem com que nossos filhos não tenham acesso a uma mídia de entretenimento de qualidade. Um produto só existe no mercado por existir consumidor, e vice e versa. Sendo assim, se não existissem estas opções, eles ainda leriam as revistinhas infantis e dariam risadas como nós demos em nossa infância.

Olha a notícia que acabei lendo hoje no Correio do Povo:

"Mônica e Cebolinha estão de casamento marcado



União da dupla mais famosa dos quadrinhos brasileiros estará nas bancas na próxima semana

Foram décadas de implicância um com o outro, na revistinha mais famosa do Brasil. Tanta paixão reprimida só podia acabar em casamento. Agora, chega de planos infalíveis e coelhadas. Mônica e Cebolinha vão casar na edição 50 de Turma da Mônica Jovem. O lançamento da revista de 132 páginas ocorre na próxima semana.

O gibi em estilo mangá, produzido pelos Estúdios Maurício de Sousa, traz uma versão mais moderna da turminha que retrata a infância dos brasileiros há décadas. Na nova edição em quadrinhos, ele já trocaram o primeiro beijo e engataram namoro. Agora, chegou o matrimônio, cujo desenrolar de toda a história ainda é segredo".


Depois de ver os olhares ilustrados na imagem acima não vou me surpreender se levar meu filho na banca pra comprar revistinhas e encontrar uma de hentai , assinada pelo Maurício de Souza, ainda por cima.



sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Fotos raras de sets de filmagem

 
Que fazer cinema, teatro, televisão (ou seja que atração for) dá trabalho, isso já sabemos.

Só que quando fazemos o que realmente gostamos, pode ser muito mais divertido. Esse aí em cima na boca do tubarão é nada mais nada menos que Steven Spielberg posando com sua criação nos bastidores do thiller de horror "Tubarão", em 1975. Prova de que quando fazemos todo o trabalho de forma leve, os resultados sempre serão melhores!

Aqui temos outra foto inusitada do grande diretor: olha a situação!

Pois é. Garanto que nem se importou de deitar em cima de maquete no set de Indiana Jones e Os Caçadores da Arca Perdida em 1981, para enquadrar a imagem: o que importa é o resultado que a gente já conhece!

Esta abaixo é do Jack Nicholson e Stanley Kubrick no set de O Iluminado (1980). Com este sorrisão a gente não sente nem medo, e parece que ele está curtindo muito trabalhar alí! Porém... o personagem que Nikcolson fez neste filme é um dos que mais angustia até hoje quando assisto. Quase fico com a mesma cara da Shelley Duvall quando ele bate com o machado na porta. Do mal! Ah, e para mim esta versão de 1980 é muito melhor que o ramake de 1997 (embora o último não seja de todo ruim).


E o Elijah Wood e Macaulay Culkin no set de O Anjo Malvado (1993)? Acho que se a mãe do mocinho da história tivesse visto os dois sorrindo e brincando assim, ia ter muito mais dificuldade de escolher quem salvar no final...



Nem só de sensualidade e perspicácia Sean Connery construiu o agente James Bond enquanto trabalhou na franquia  de 007: pausas foram são essenciais, e rir também. Prova disso é esta foto abaixo, nos bastidores de 007 Contra Goldfinger (1964).

 
 
E por fim, podemos verificar que um ator alimenta o personagem que está dentro de si durante o trabalho: olha o Nick Castle como Michael Myers no set de Halloween (1978)!
 
 
 
 
Fonte: Portal MSN. Lá você vai ver mais fotos além destas, aqui coloquei só as que achei mais legais.



quinta-feira, 26 de julho de 2012

Eu quero, desejo, necessito!!!!

Estava eu inocentemente olhando o Loucas por Esmalte (Inocentemente nada, estou é tentando aprender nail art!), quando me deparo com coisinha que quero, desejo, necessito, preciso!!!!! #aloka

Tenho dois gatos xeretas, dois filhos mais xeretas ainda e um marido que se aproveita quando estou com o esmalte por secar para tentar me "aliciar" (pobre de mim...), pois sabe que não vou mexer as mãos. Por isso, o que mais preciso é "blindar" minhas unhas, quando estou fazendo aqueles testes horrorosos de nail art que eu faço.

Certo, este primeiro objeto não serve exatamente para blindar, mas é que a Pantera, minha gata, tem que cheirar tudo que não estiver no lugar (Aquela gata é doida, se eu tiro um livro do lugar ela vai cheirar e fica dando tapinhas com a pata. Acho que ela tem TOC.); então pra ela não derrubar os vidros de esmalte que por ventura estejam fora de minha maleta enquanto pinto as unhas, queeeeero isto aqui ó:









Esmalte com embalagem ergonômica!

E olha que invenção maravilhosa para proteger as unhas:
















Protetor para unhas "molhadas"!


Tá certo que é meio esquisito, mas é útil!

E por fim, uma invenção que vai me ajudar a realizar um dos meus sonhos culinários: cortar salada de repolho fininho que nem minha mãe faz! \0/\0/\0/
Ela me ensinou que firmando na unha (???? Que é isso, mãe, que é isso?), podemos medir a "finura" da fatia. O mais lindo é que ela não lasca o esmalte dela, nem corta o dedo. Em compensação eu...
Mas olha só que maravilhaaa:
















Protetor para cortar legumes... esse não encontrei onde comprar.


Bom, agora que compartilhei, vou ver quanto custariam os investimentos.




Vídeo Coca-cola

Olha, eu sou meio contra este lance de capitalismo extremo, e tal, mas achei bem interessante esta constatação da Coca-cola: As câmeras de segurança registram muito mais que crimes. Registram também o que há de bom no ser humano.

Dá uma olhada:



Vi no site Resto do Nada , que recomendo, inclusive.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Nail Art - Como uma Onda

Pois eu faço nail art(OU TENTO, NÉ?). Nas minhas própria unhas, ou nas da minha filha.

Esta primeira vez que vou mostrar aqui é em homenagem a um outro blog que eu curto muuuuito, e onde eu aprendo muitas dicas de beleza e cosméticos: O Pausa para Feminices , que é feito pela Bruna Tavares. Gosto dela porque é jornalista, corre muito, é mãe, se divide em mil durante o dia, assim como eu.

Hoje o blog e ela estão de aniversário. Legal né? O tema preferido dela é "Sereia". Por isso, "nailarteei" (verbo novo) nas minhas unhas ondas do mar com cristais azuis e rosas.

As fotos não estão uma beleza, pois ainda não sei fazer foto de unha direito. Mas um dia eu aprendo. Ao invés de fotografar o passo a passo da pintura, ilustrei, pois fiz às 23h de ontem.

Ah, e não reparem nas cutículas. Estou na luta para hidratá-las a ponto de não precisar mais tirá-las, ainda não estão a contento.

Olha aí o produto final, com flash:





E tem foto sem flash, também...





...e uma ampliação que não é a oitava maravilha dos tutoriais.


Então, os produtos que usei foram:
  • Esmaltes Charmosa e Apaixonada, da linha Style Dote;
  • Esmalte craquelado branco da La Pogee;
  • Esmalte de glitter colorido, que não lembra a marca, mas vou em casa olhar e amanhã eu digo (aqueles baratinhos que ficam em balaio de farmácia, mas ele é liiiindo com bastante glitter e super durável);
  • Cristais para unhas Marco Boni (Comprei pela Avon. E tá valendo. Vi reclamações dos cristais que estavam fornecendo para eles antes, mes os desta marca estão muito bonitos. Na foto não aparece o brilhozinho lindo deles.);
  • Cobertura Brilhante de secagem rápida para esmaltes, da Avon (a melhor que já usei. Realmente cumpre a promessa de secar em 60 segundos.).
1º: Passe o esmalte Charmosa em toda a unha (super bem desenhada, hein, hein???)

2º: Aplique os cristaizinhos com uma pinça, enquanto o esmalte estiver molhado.

3º:Passe o esmalte craquelado de forma irregular das pontas da unha, quase até o meio.

4º: Passe o esmalte apaixonada mais para a ponta, também de forma irregular. Vai dizer que não parece uma onda com sua espuma?


5º: Depois, contorne a espuma de forma irregular com o esmalte com glitter (usei um palito, mas acredito que seja melhor o pincel).



Agora é só passar a base extra brilho! Ela servirá tanto para secar, quanto para abrilhantar e segurar os cristais.

(Garanto que ao vivo fica muito mais bonito...kkkk!)










quinta-feira, 28 de junho de 2012

E se o mundo fosse uma vila de 100 pessoas?



Fonte: http://www.naointendo.com.br

Com os números assim, além de podermos visualizar melhor, também podemos refletir o que é realmente diferença ou não (Atentem à religião e cor de pele que são duas das maiores causas de intolerância social...).

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Big bang do milho

E então... funciona assim...



Hipnotizante!

Fonte: Ah, Negão!

Top 8 homens liiindos (serááá???)

É da minha natureza discordar.

Fico horrorizada em ver como as mulheres gritam "liiiindo" pra qualquer mané que fique na frente de uma câmera ou atrás de um microfone (Ou com uma bola no pé, enfim.), incrível mesmo.

Pois resolvi abrir minha "boca de sacola" e mostrar minhas discordâncias, pelo menos aqui pelo Brasil.

8º lugar - Gustavo Lima

Gente, o Gustavo Lima até que ficou um pouco menos pior depois que deixou a barba crescer, mas convenhamos, que aquela coreografia bagaceira dos infernos que ele faz quando canta o tal do "infinitamente tchetchereretchetchê", dá nojo. E só.

7 º lugar - Michel Teló

Este me dá vontade de dar uma fugidinha... na direção contrária à dele! É simpático, não posso negar. Mas gurias... parece uma barata descascadinha, coitadinho.

6º lugar - Kadu Moliterno

Este é do passado (Não muito distante - alguém aí assistiu "Armação Ilimitada"?). Mas gente, a pele dele brilha, as bochechas são vermelhas! Não sei, tem algo que me incomoda no "Seu" Kadu. Via minha tia e minha mãe falando que era gato, mas já que minha tia morria de amores pelo Sidney Magal também, me senti a vontade de discordar (desde criança, hein?).


5 º lugar - Xande (o marido da Carla Perez)

Cara de bebê chorão. Pra mim isso basta. Tudo bem, que o que sabemos é que o cara é um bom cristão, um bom pai, um bom marido da Carla Perez. Que legal, respeito muito isso. Admiro, inclusive. Mas daí pra achar ele lindo e maravilhoso tá longe. Realmente, tinha tanta vontade de chorar quanto o cavaco da música ("Mandei meu cavaco choraaaaaar"... lembram?) dele quando o via dançando e rebolando bregamente na televisão. Juro.


4º lugar - Dado Dolabella

Mais um bebê chorão (Acho que vou fazer uma lista de bebês chorões...). O que me incomoda é o comportamento desta pessoa. Ele não é exatamente feio fisicamente. Mas gente que se acha a última bolachinha do pacote pra mim já é automaticamente feia.


3 º lugar - Neymar

Simpático e não passa disso. Acho um fofo, um querido, mas gente... bonito??? Pra qual civilização? Se algum antropólogo me explicar, juro que revejo meus conceitos (Não, a foto não foi escolhida por acaso!).

2º lugar - Ronaldinho Gaúcho
Ronaldinho Gaúcho - Divulgação
Dispenso comentários.


1º lugar - Théo Becker

Aaaaargh!!! Este homem parece ser seboso. Nem vou falar muito, reparem no cabelo, no brilho da pele. Mas acho que a Nicole Bahls tá extremamente carente mesmo, de verdade, porque eu nem sou tão bonita que nem ela e já não deixava chegar perto (Na verdade gritaria: vai já pra jaula!). Pra mim, é o rascunho do mapa do inferno ao quadrado. Ah, e isso que nem entrei no mérito da neurose (Mas isso é doença, e doença a gente respeita.).


Ok, eu não sou nenhum exemplo de beleza. Mas tenho opinião própria. E você que tá aí lendo? Concorda, discorda, também se irrita quando vê um bagulho ser chamado de gostoso? Desabafa nos comentários.


Fontes das imagens: Site da Prefeitura de Bragança Paulista, Carnaval no Brasil , Freak Show Business , É permitido pensar , Blog do Carlos Britto , Neymar.TV , Atlântida Crisciúma , O Dia online .

terça-feira, 12 de junho de 2012

TAG - isso ou aquilo?

Não escrevo muito sobre o assunto, mas gosto muito de blogs de beleza e moda.


Daí no primeiro dia em que entrei no Naty Beauty, me apaixonei. O blog é muito legal, mesmo.


Daí resolvi participar deste joguinho de tag. Considere-se tagada, Naty! (Espero que tenha feito da forma correta...)

Maquiagem:

- Bronzer ou blush? BLUSH
- Batom ou Gloss? BATOM de preferência vermelho

- Máscara ou delineador? OS DOIS, muito, muuuuito!!! #ALOKA
- Corretivo ou base? BASE

- Sombras coloridas ou sombras neutras? TODAS!!!- Sombras compactas ou sombras soltas? COMPACTAS- Pincel de cerdas ou esponjinhas? PINCEL DE ESPONJINHAS

Unhas:
- Impala, Risqué ou Colorama? RISQUÉ, sem sombra de dúvida. o Impala me descama as unhas e o Coloroma empelota todinho...
- Compridas ou curtas? COMPRIDAS
- Esmaltes claros ou esmaltes escuros? OS DOIS!!!! 


Corpo:
- Perfume ou body splash? BODY SPLASH
- Body butter ou creme hidratante? CREME HIDRATANTE
- Sabonete em barra ou sabonete líquido? EM BARRA


Cabelos:

- Enrolados ou lisos? ENROLADOS (Ondulados e repicados, que nem o meu)
- Rabo de cavalo ou coque? COQUE (Mas coque estruturado, ou bagunçadinho. Me sinto muito sexy com eles.)
- Spray ou gel? NÃO USO
.- Curto ou comprido? COMPRIDO

- Claro ou escuro? ESCURO


Perguntas aleatórias:
- Chuva ou sol? CHUVA
- Verão ou inverno? INVERNO- Primavera ou outono? OUTONO
- Chocolate ou baunilha? BAUNILHA


Pois é, esta sou eu. Meu marido diz que mulher muito maquiada parece boneca de cera. Daí olhei meio "enviezado" pra ele e ouvi um "mas tu parece uma bonequinha de porcelana, meu 'amoior'!"... óóóiiin, ele é um fofo.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Sacrifice

No post passado havia comentado sobre a música "Jeito de Mato" e ao fato de uma música remeter a outros sentimentos que não sejam os amores entre casais.

Exemplo disto para mim é a música "Sacrifice", de Elton John. Não consigo assistir ao clipe inteiro sem chorar pelo menos um pouquinho. Quando eu era criança, por ser filha de pais separados, depois de adulta, por ter filhos de pais separados (Apenas por isso, por meus filhos.). Assistam até o fim e entenderão.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Segunda voz

No dia de ontem, 15 de maio, me aconteceu algo de muito especial. Me fez refletir sobre quem está por trás de alguém que se destaca.

Então resolvi lembrar sobre a segunda voz em algumas músicas.

1 - "The Blower's daughter", de Damien Rice. é trilha do filme "Closer - Perto demais". O filme trás apenas Julia Roberts, Jude Law, Clive Owen e Natalie Portman no elenco, então, não preciso nem dizer que é uma porrada (até por que todo mundo já deve ter assistido). Gente, alguém já ouviu o "coro" de voz feminina que tem mais pro final da música? Meeellll Deeeelllls!!! é uma das coisas mais lindas que meus ouvidos já ouviram (Ô redundância!). Só perde pros meus filhos (Quando não estão gritando, óbvio.). O clipe do qual tem o link aqui tem cenas do filme, e é tão melancólico quanto a música. Seu Jorge e Ana Carolina cantam uma versão linda dela... mas não tem esta segunda voz tão, tão... doce, meu deus! Ah, a menina que canta esta segunda voz se chama Lisa Hannigan, e não é necessariamente uma segunda voz. Só que todo mundo fala apenas do Damien, enfim.

2 - "Jeito do mato", da Paula Fernandes. Foi trilha do remake de 2009 da novela global "Paraíso" (O que??? Tu não sabia que era um remake? Pois é, a primeira versão foi gravada em 1982!). Então... aquela maravilhosa voz no fundo é do Almir Sater. Ca...lho! A guria tava no início de carreira e tinha a SEGUNDA VOZ DE NADA MAIS NADA MENOS QUE ALMIR SATER! G-zuis! Com serteza uma das coisas mais lindas que já ouvi também. Sem dúvida é música pra chorar abraçada no travesseiro. Ela nos remete muitas coisas além do que a maior parte das músicas remetem: amor entre casais, ou uma desilusão amorosa com este tipo de amor. O clip que vou linkar não achei lá estas coisas, mas foi o que encontrei com eles dois cantando junto. Vale pela ouvida.

3 - Essa é da primeira vez em que me arrepiei ao ouvir uma voz de homem cantando (Depois disso descobri o Nasi, e me arrepio com os dois...): "Living on a prayer", interpretada pelo John Bon Jovi e o magnífico Richie Sambora. O cara é companheiro inseparável do John. Para mim, sinceramente, o melhor guitarrista do mundo. O clip em questão é da época em que eu gravava os shows da banda em VHS, acompanhando minha tia, que é fã. Eu também sou... sei o que é bom desde criança. Aqui John e Richie cantam a música que disse e seguem com "Wanted Dead Or Alive", que foi trilha do filme "Young Guns". Cada um com uma violão, MUITO BONITO DE SE VER. Simples assim... ai, ai (suspiro). Vai dizer que quando a segunda voz feita pelo Richie entra não dá um nó???? Aaaaai, quando o John canta:
"Oh, We're half way there"...
E ele responde:
"Whoah, Livin' On A Prayer"...
E o John retorna:
"Take my hand, we'll make it, I swear"...
E ele...
"Whoah, Livin' On A Prayer"...
DÁ VONTADE DE SAIR GRITANDO QUE NEM FÃ ENLOUQUECIDA EM SHOW!
 
Bom, esta é uma homenagem para aqueles que gostam de ficar nos bastidores. Espero que entendam minha metáfora. Há pessoas que nem precisam fazer uma segunda, mas o fazem porque gostam, fazem bem feito e se tornam esseciais.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Meninos ucranianos

Não quero links, não quero mostrar nada. Absolutamente nada.

Estava lendo o site Minilua. Lá, uma foto lateral chamou minha atenção. Falava sobre a situação triste de crianças na Ucrânia. Abri o link.

Não vou reproduzir as fotos. Não é este meu intento. Não gosto de sensacionalismo nem profissionalmente, muito menos intimamente. Infelizmente vivemos no que chamamos de "Sociedade do espetáculo". Onde podemos assistir a desgraça alheia, e em um clique após dizer "coitadinho", fugir da realidade.

Há pessoas da minha convivência que se questionam sobre como sobrevivi a certas situações que elas consideram extremas. Mas elas sabem apenas o que contei. Na verdade, nunca vivi nenhuma situação extrema. Caminhei aproximadamente sete quilometros na chuva por não ter como pagar o ônibus, sem proteção nenhuma para fazer a prova do ENEM. Passei, estou prestes a me formar como bolsista. Roubei chuchu na cerca da vizinha para ter o que comer alguns meses antes disso acontecer. Estava amamentando meu filho praticamente desmaiada quando o pai dele chegou em casa. Tenho pressão baixa e chuchu não faz muito bem para pessoas como eu. Sofri violência psicológica, o que resultou em um divórcio. Me reergui do nada, várias vezes. e me reergo de novo, se for necessário.

Isto é o que eles sabem, e já ficam chocadas. E se um dia descobrirem que testemunhei contra um pedófilo ao descobrir que uma menina em uma das creches que eu trabalhei estava sendo abusada? Sim, eu estive frente a frente com ele, e não piquei nenhum pedacinho do seu rosto.

E se descobrirem que ensinei uma menina de treze anos a tomar banho em bacia depois de descobrir que na sua casa não havia água encanada?

Que vesti meu moletom em um menino de seis anos para o qual tive que colocar no colo para dar aula, na intenção de aquecê-lo (Naquele dia voltei com frio para casa, mas a sensação foi única.)?

Que segurei a língua de um menino que estava tendo uma overdose?

Que fui em boca de fumo exigir um aluno meu de volta gritando com o traficante em questão "Nos dias em que eu der aula ele é meu, nos outros ele é teu, e vamos ver quem é que ele escolhe!"? A partir deste dia o homem mandava o menino ir pra escola antes de ir para o "trabalho".

E o dia que fui escoltada pra descer o Morro da Cruz sob fogo cruzado? Cabuloso!

Sabem quanto eu ganhava para sustentar meus filhos neste período? 80 reais por mês, numa época em que o salário mínimo era de 400. O resto, arranjava fazendo uma performance de teatro aqui, outra alí. Não se enganem, meus amigos, artista fora da televisão é pobre.

Não é meu intuito também exibir proezas. Até porque o que contei não é proeza. É apenas minha obrigação. Na verdade a obrigação de todos nós.

Conheço um homem que me contou que muito se molhou na chuva sendo levado pela mão por sua mãe, em condições extremas. Começou a trabalhar aos sete anos, vendendo jornais. Não digo quem é, nem o que faz por respeito, mas posso dizer que hoje está muito, mas muito bem. Chorei ouvindo sua história, porque é muito parecida com a dos meus filhos, que não precisaram trabalhar tão cedo, mas estão aprendendo o valor das coisas comigo. Tenho certeza que este homem não fez o que fez sozinho. Sempre temos alguém que dobre nosso paraquedas. Lembram daquele email que ninguém lê até o final? Pois é, leiam e entenderão. Assim como estenderam a mão para ele, estenderam e estendem para mim; e eu estendo para outro, em gratidão a quem me estendeu.

Estou extremamente chocada com as fotos que vi, retratando o cotidiano dos meninos abandonados na Ucrânia. O que me choca mais ainda é saber a sensação que o fotógrafo deve ter tido. Ele também estava cumprindo sua obrigação como pessoa. Podemos não ter dinheiro, mas miséria vai muito além de não ter dinheiro. A miséria da alma é muito mais assustadora e sedimentada.

Minha mãe é kardescista. Minha família é. Um dia ela me disse que devemos cumprir nossa obrigação com nossos filhos primeiro, e que haviam desgraças que aconteciam com as pessoas por conta de coisas que elas mesmas fizeram. Acredito nisto. Mas assim como ela, acredito que nós todos estamos aprendendo. Consequentemente, se estes pequenos estão aprendendo com a dor, eu estou aprendendo com a indignação por vê-los assim, e ainda mais com a coragem de fazer alguma coisa. Isto é o que dá forças à minha mãe, por exemplo, mesmo cansada, prestar trabalho voluntário também.

Mas é tudo tão complicado. Não é uma doação, nem simplesmente arrastar um menino ucraniano para um abrigo que vai resolver. Nem um prato de comida. Naquelas condições, o corpo não sente fome, nem frio. Talvez nem dor.

Meu Deus! Eles são muito parecidos com meu filho. E podemos sentir todo o sofrimento em suas expressões nas fotografias.

Talvez nem escrever este texto ajude, mas preciso vociferar este tipo de coisa, sabendo que tenho acessos de várias partes do mundo, mesmo que não comentem nada.

Todas as noites agradeço à Deus(a) por ter me dado forças para garantir dignidade aos meus filhos. Poderia ter fraquejado como os pais destes meninos. Existem coisas (boas e ruins), que só podemos explicar com o divino. Quando os vejo deitados em camas limpas, alimentados, e recebendo educação, mesmo que com a dificulade de minha falha presença muitas vezes; só consigo explicar com a presença de um Deus(a) que não é bom. É justo.

Não consigo ver a humanidade como se não fosse uma família gigantesca. Queria poder me multiplicar e segurar cada um deles no colo. Juro. Não tenho por que querer impressionar alguém.

Mas posso pedir um favor: que cada pessoa que ler isso se torne uma extensão dos meus braços. Também imagino que isso não vai dar certo, mas se um atender, já será a margem que as estatísticas prevêem.

Um dia, meus filhos queriam deixar uma lata de refrigerante pela metade em uma calçada para que um mendigo pegasse. Não permiti. Ensinei a eles que se quiserem dar algo a alguém, que fossem ao mercado, comprassem um lanche limpinho e dessem. Isso é dignidade. Ninguém precisa viver de restos.

Pode existir um "menino ucraniano" ao lado da sua casa, sabia? Não é necessário viajar a Ucrânia para fazer algo.

Estes meninos vão desencarnar e ser substituídos, e não falta muito tempo. Se verem as imagens entenderão. Não sabemos onde terão suas próximas chances, então se melhorarmos as condições por aqui, estaremos preparados para recebê-los de braços abertos, caso nos escolham. A vida é feita dos atos de cair e levantar diariamente. É assim com o plano divino, também.

Uma oração? Talvez. Na verdade chamo isso de fé, de amor, de esperança.

Esta foto retrata uma pessoa que foi salva do abandono por um casal em melhores condições que seus pais biológicos.

Medo de palhaço

Uma vez minha mãe contou que meu irmão de 22 anos ainda tem medo de uma coisa, só uma coisinha: palhaço.

E daí que eu achei ser bobagem até o dia de hoje, quando resgatei, lá do fundo do baú, um bate-papo da UOL com palhaços da franquia Patatí e Patatá, em 2003.

1ª constatação:

G-zuis!!! Socorro, posso estar sendo espiada por um palhaço agora!!! (A partir de hoje, só tomo banho de roupa...)



2ª constatação:


Sempre, SEMPRE haverá um idiota metido a palhaço (no sentido negativo da história...) pra colocar um apelido de extremo mau gosto em um bate-papo em que muito provavelmente crianças e pais de crianças entrariam. E os moderadorees não fizeram nada, leram bem? NADA!
Só um apelido destes já é crime. Mas como palhaço não necessariamente é bobo, "deram nos dedos", só no sapatinho (É cômico o resto do bate papo. Para todas as perguntas que o tal "Pedófilo" faz, os palhaços respondem algo relacionado à inocencia infantil. Pena que ele não "se flagra".):


Conclusão:

Onipresentes e inteligentes. São semi-deuses. E se Hércules detonava, devia ser temido. Sendo assim, palhaços devem ser temidos. Resumindo: Meu irmão tem razão (Drooooga!!! Mãe, olha esse gurí rindo da minha cara!!!).


P.S.: Se encontrar algo que denote onisciência e onipotência, por gentileza, avise, assim, chegarei à uma segunda conclusão: a de que devem ser Deuses... daí vou enviar um email perguntando como foi criar tudo isso em sete dias, e talz...

P.S 2.: NÃO, NÃO FUMO ABSOLUTAMENTE NADA. Nem cigarro comum. Só precisava falar um pouco de bobagem. Queria mesmo é que mais gente fizesse este trabalho de resgatar a inocência infantil, que é tão gostosa; ao invés de mostrar programas com crianças namorando e cenas de sexo explícito com atores adultos, prontas para ser copiadas embaixo da mesa da escolinha.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Para nossa alegria... de verdade.

Um vídeo se torna viral.

Pela graça? Pelo sorriso do rapazinho que toca violão? Claro. Eu ri também.

Mas daí um dia resolvi escutar.

É uma letra singela, mas que diz tanta coisa.

"Nos galhos secos de uma árvore qualquer
Onde ninguém jamais pudesse imaginar
O Criador vê uma flor à brotar

Olhai, olhai, olhai
Os lírios cresceram nos campos
E o Senhor nosso Deus
Nos têm alimentado para nossa alegria

Para nossa alegria
Para nossa alegria"


Foi composta em 1972, pela banda de rock evangélico Êxodus.

Foi gravada até pela banda Catedral, aquela que tem um vocalista com a voz igualzinha a do Renato Russo.

Fiquei curiosa, e tive que compartilhar. Não sou cristã. Mas quando algo é bonito, pela simples intensão de dizer algo de bom, pode e deve ser admirado.


quarta-feira, 18 de abril de 2012

Contos de Fada = verdade

Essa vem lá da minha intimidade profissional.

Tenho uma grande frustração na minha carreira como atriz de teatro. Gosto de vilãs. Um gosto especial, mesmo. Até hoje, meu papel favorito foi o da Rainha de copas em Alice no País das Maravilhas. Antes era interpretada pela minha fantástica amiga e eterna colega Gabriela Schaurich (Da minha Rainha tenho foto apenas no meu celular, que está sem cabo, no site da Gabi tem ela como Rainha, depois como Alice, enfim... o interessante é que comecei como Coelho Branco, passei até como Chapeleiro Maluco. A gente se reveza muito neste meio. Se olharem todas as fotos, mais abaixo, nas fotos do musical "O Menino do Dedo Verde", verão uma mulher de estola cor de rosa. Sou eu. Do lado a Gabi, de arauto - um arauto fodástico, diga-se de passagem; pois virava vários personagens em cena. Alí eu era a Srª Mamãe - quem leu o livro de Maurice Druon vai saber que sou diferente dela fisicamente, mas era uma adaptação livre e virou cômica, como todos os espetáculos infantis em que colocam a Gabi e eu juntas.).

Representar uma vilã não é tarefa fácil. Alí tu coloca para fora tudo aquilo que tua mãe te ensinou que era feio. Tu pode ser incorreto sem medo. Pode ser ridículo e se dar mal sem temer. Depois se sente uma pessoa bem melhor, pois em ti ficou apenas o que era bom... não é algo incrível? Sinto muita falta do palco, e principalmente das vilãs que eu fazia.

Minha maior frustação é a Madrasta da Branca de Neve. Até meu perfil no facebook tem uma ilustração dela. Sempre quis ser a Rainha. Fiz vários testes na época de teatro estudantil. Mas uma barreira me separava dela: meu rosto. Sim, meu rosto branco e redondinho, a boca vermelha em formato de coração e o cabelo chanel tão escuro que uma vez perguntaram se minha mãe pintava. Não dava outra: "Branca de Neve nela!", diziam as professoras. E daí lá ia eu fazer a cara de paisagem da personagem que acho mais inssossa no mundo (Por coincidência, a Gabi está interpretando ela na direção do Zé Rodrigues, atualmente, sem muita inssossidade* - vale conferir, meus filhos adoraram ver a tia Gabi imitando o ó,ó,ó,óóóóóó...kkkk!).

Cresci e trabalhei por alguns anos profissionalmente. Certa vez bati boca com um diretor que queria que eu fizesse contação de histórias vestida de Branca de Neve. "Mas por que não pode ser a Rainha contando a História e como se deu mal?... Vai ser até pedagógico!" Já estava até fazendo beicinho para convencê-lo. "Tá doida, guria? Tu é a cara da Branca de Neve! Agora vai lá, coloca o vestido, pega uma maçã, deita e acorda quando o monitor te der um beijo." E eu fui, bufando.

Nem minha sobra de peso fez com que me livrasse da Branca de Neve. Isso é um absurdo; mas é real.

Daí contei toda esta história, e ninguém tá entendendo nada, estão achando que estou em um momento choradeira. Pois então.  Para me formar em Magistério estudei fundamentos da Literatura Infantil. E além de adorar interpretar vilãs (Aqui falei da que fiz em espetáculos infantis - entre outras que não citei - , mas fiz umas em espetáculos adultos que me ralavam toda, mas adoooourava!), adoro os Contos de Fada e seus fundamentos. Na verdade são contos bem pesados, que graças ao gênio Walt Disney viraram referência na ludicidade infantil (pronto, agora baixou a professorinha - preparem-se!).

As estórias que Andersen e os Grimm contam são bem diferentes. E estou achando extermamente interessante que o cinema está resgatando certos elementos a respeito.

Vou postar o pouco que sei aqui, nos próximos dias.

*Essa palavra existe? Se não existe, inventei agora.

Olha que bonitinha, era assim que eu ficava! Até o narizinho é parecido... (Tirei de outro blog.)

O Titanic voltou!

Não, gente, NÃO emergiram o Titanic.

Mas o filme voltou, e agora em 3D! Que leeeeindo!

Daí você assiste, volta pra casa. Não tem como impedir que sua imaginação vá para o gélido oceano...

Da mesma maneira que cito de onde retirei todos os arquivos que não são meus, gostaria que se alguém for reproduzir esta tirinha me cite como autora. É uma questão de respeito, afinal, a ilustração é minha.


terça-feira, 17 de abril de 2012

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Stormtroopinho

Ah, droga, já dei minha lacrimejada da tarde lendo um site de humor, vê se pode?



Tá bom... pra quem chora assistindo Dumbo na cena em que a mãe dele tá presa e embala ele com a tromba através da grade... tem como se segurar? (Droga, já tô com os olhos marejados de novo.)

E se o Dart Vader fosse um bom pai?

Então... meu filho de 8 anos, que se chama Lugh, resolveu jogar Star Wars. E não entendia bulhufas da estória. Enquanto não consigo todos os episódios da série pra fazer uma noite de cineminha com algo que valha a pena, o padrasto dele e eu passamos o café da manhã inteiro explicando quem era quem.

Daí dei de cara com este post no site Fail Wars , e não pude deixar de lembrar do meu gurizinho, que jura ter o mesmo nome do filho do Anakin (Espero não ter decepcionado ao esclarecer que na verdade o nome dele é de um Deus Celta... ok, ele disse que gostou. Agora sai por aí dizendo que o nome é bretão, patatí, patatá...).

Mas olha só que sarro esta suposição sobre uma boa paternidade do Dart Vader: